Sobre o curso Sobre o curso


Atuação no Mercado de Trabalho:

O curso forma profissionais aptos a atuarem no desenvolvimento e na integração de processos, sistemas, equipamentos e dispositivos de controle e automação.

Em sua atividade, o engenheiro aperfeiçoa, projeta, instala e opera sistemas de controle e automação de processos de manufatura e acionamento de máquinas; de medição e instrumentação eletroeletrônica, de redes industriais e de aquisição de dados.

O profissional ainda promove a integração de recursos físicos e lógicos, especificando e aplicando programas, materiais, componentes, dispositivos, equipamentos eletroeletrônicos e eletromecânicos utilizados na automação industrial, comercial e predial.

Por fim, ele coordena e supervisiona equipes de trabalho; realiza pesquisa científica e tecnológica e estudos de viabilidade técnico-econômica; executa e fiscaliza obras e serviços técnicos; efetua vistorias, perícias e avaliações, emitindo laudos e pareceres.

Em sua atuação, considera a ética, a segurança e os impactos socioambientais. O curso deverá capacitar profissionais com amplos conhecimentos na área das técnicas de controle automático, acionamentos elétricos, eletrônica digital, otimização e computação aplicada.

Forma de Ingresso:

Atualmente, o acesso ao curso de Engenharia de Controle e Automação ocorre por meio do
SISU, de forma unificada, através do Conjunto de Engenharias CTG (ABI-Engenharias). Caso classificado
nas vagas oferecidas pelo SISU, o candidato passa a ser aluno do curso de ABI-Engenharias durante um
ano. Então, após esse período, ele poderá realizar a sua escolha por Controle e Automação, sendo avaliado de acordo com o seu desempenho acadêmico.

Modelo de Ensino Híbrido:

1) A CH prática das disciplinas práticas e híbridas, ocorridas em labs. do DEE, tem que respeitar o distanciamento entre alunos, garantindo 1,0m de distância entre cada um e alocando somente 1 aluno por bancada (atividades individuais). O uso de máscara é obrigatório por todos (docentes, técnicos e alunos) e o docente e técnico devem disponibilizar álcool líquido ou em gel no ambiente (há um estoque na secretaria do DEE e pode ser obtido com Gustavo Duarte). O acesso aos banheiros deve permanecer liberado, devendo ser limpos com regularidade. Essas recomendações estão definidas nos protocolos atuais da secretaria de saúde do governo de PE (Plano de Convivência e Protocolo Setorial de Educação);

2) As avaliações das disciplinas teóricas que estão na planilha de ofertas têm que respeitar o distanciamento entre alunos, garantindo 1,0m de distância entre carteiras. Avaliar o uso de 2 salas (ou até mais) do DEE simultâneas para a realização da atividade. Caso se torne inviável, os docentes terão que solicitar à direção do CTG o acesso às salas do 1º da aulas para as atividades. O uso de máscara é obrigatório por todos (docentes e alunos) e o docente deve disponibilizar álcool líquido ou em gel no ambiente (há um estoque na secretaria do DEE e pode ser obtido com Gustavo Duarte). O acesso aos banheiros deve permanecer liberado, devendo ser limpos com regularidade. Essas recomendações estão definidas nos protocolos atuais da secretaria de saúde do governo de PE (Plano de Convivência e Protocolo Setorial de Educação);

3) É muito importante a flexibilização, por parte dos docentes, da presença dos alunos em aulas remotas que tiverem outras aulas ou provas presenciais conjugadas (que terminaram antes da aula remota do docente ou que se iniciarão após a aula remota do docente), já que o aluno terá que se deslocar da sua casa para a UFPE ou da UFPE para sua casa quando fizer a transição das atividades presenciais para remota e vice-versa. Essa flexibilização deve ser definida em um acordo de cada docente com cada aluno, caso a caso;

4) As atividades práticas são de caráter obrigatório, ou seja, o aluno não tem direito de escolher realizar as práticas de forma remota por desejo pessoal. A única exceção é dada para os casos de alunos que estão com suspeita de covid-19, segundo Resolução Nº 04/2021 do CONSUNI (enviada pelo Prof. Marcelo no e-mail anterior). Nestes casos, os alunos deverão permanecer isolados em quarentena pelo período especificado e, durante essa quarentena, as atividades podem ser negociadas entre aluno e docente (se irá adiar, se irá realizar a aula de forma híbrida, se irá repor aula depois, etc.). O mesmo serve para as avaliações de todas as disciplinas (teóricas, híbridas ou práticas), que deverão ser flexibilizadas em casos de suspeita de covid-19.

Atenciosamente,

Coordenações dos cursos de Eng. Elétrica e Controle e Automação
Profs. Pedro Rosas e Marcelo Cavalcanti

 

  • Vinculação: Departamento de Engenharia Elétrica e Sistemas de Potência e Departamento de Eletrônica e Sistemas.
  • Localização do Curso: Centro de Tecnologia e Geociências.
  • Autorização de Funcionamento e Criação do Curso:  Criado pelo Conselho Coordenador de Ensino, Pesquisa e Extensão-CCEPE. Sessão de 02/12/2011
  • Publicação no Boletim Oficial da UFPE:  07/12/2011
  • Turno: Integral.
  • Síntese de Carga Horária:
    • Componentes Obrigatórios: 2.505h;
    • Componentes Eletivos do Perfil: 300h;
    • Componentes Eletivos Livres: 60h;
    • Atividades Complementares: 150h;
    • Ações Curriculares de Extensão: 360h;
    • Estágio Curricular Supervisionado: 165h;
    • Trabalho de Conclusão de Curso: 60h;
    • Carga horária total: 3.600h.
  • Integralização Curricular
    • Tempo Mínimo: 10 semestres;
    • Tempo Médio: 12 semestres;
    • Tempo Máximo: 18 semestres.
  • Contato: (81) 2126.8256 / secretariacoord.dee@ufpe.br