Grupos de Pesquisa Grupos de Pesquisa

Grupos, Laboratórios e Núcleos de Pesquisa

Estes estão relacionados com as linhas de pesquisa do programa e dispõem de equipamentos básicos necessários para o seu funcionamento (computadores, softwares, impressoras, gravadores digitais, equipamentos multimídia, dentre outros). Congregam, também, recursos humanos, estudantes de graduação, de pós-graduação (mestrado e doutorado) e voluntários sem bolsas ou com bolsas de IC (CNPq e FACEPE), Apoio Técnico (FACEPE), Bolsa de Incentivo Acadêmico – BIA (FACEPE), dentre outras modalidades ofertadas por agências de fomento. Participam, também, outros pesquisadores associados de instituições nacionais e estrangeiras. Ressalta-se que a maioria dos laboratórios, grupos e núcleos de pesquisa conta, ainda, com a participação voluntária de um ou mais estudantes do Curso de Graduação de Psicologia, Pedagogia e Matemática da UFPE, que a eles se vinculam a partir da matrícula em componentes curriculares do curso de graduação voltados para a formação em pesquisa dos estudantes.

Os grupos, laboratórios e núcleos têm propostas próprias no sentido de desenvolverem atividades distintas e de terem diferentes níveis de inserção dentro e fora do programa. Todos estão cadastrados no diretório de grupos de pesquisa do CNPq, a maioria deles possui página na web, blog e redes sociais e outros recursos que garantem sua visibilidade. Destaca-se como atividades importantes desses grupos: (i) o acolhimento de estudantes e pesquisadores que vem especificamente obter treinamento nos grupos, missão nobre que revela maturidade e capacidade de atrair pessoas fora do programa, inclusive de outros países; (ii) inserção em políticas públicas de impacto nacional (inserção social), especialmente as atividades voltadas à escola básica, mais recentemente voltadas para a saúde; (iii) promoção de eventos científicos sistemáticos com participação de pesquisadores do país e do exterior. Os laboratórios, grupos e núcleos além da pesquisa e formação de pesquisadores em diferentes níveis (da Iniciação Científica ao Pós-Doutorado) voltam-se para outras modalidades de atuação: (i) construção de modelos teórico-metodológicos para analisar, compreender e explicar os fenômenos e processos psicológico; (ii) exploração de novas tecnologias na investigação e na análise de dados em psicologia e outras áreas do conhecimento, fomentando a transferência de conhecimentos entre a Sociedade e a Universidade; (iii) organização de simpósios e mesas redondas em eventos científicos no país e no estado em parceria com pesquisadores de centros de pesquisa que fazem intercâmbio e com egressos do PPG; (iv) acolhimento de visitantes para ministrar palestras, participar de bancas defesa de mestrado e doutorado; (v) organizar pesquisas em parcerias; (vi) elaboração de publicações (artigos científicos, capítulos e livros) com participação dos docentes e discentes e egressos do PPG, bem como de outros pesquisadores de outros centros de pesquisa do país e/ou do exterior. Em ordem alfabética citamos os laboratórios, grupos e núcleos em funcionamento no PPG.

 

Grupo de Pesquisa Linguagem Leitura e Letramento (GEPELLL)

Cadastrado no Diretório de Grupos de Pesquisa/CNPq em 2007, vinculado à linha de pesquisa Comunicação Oral e Escrita. De natureza interdisciplinar, o GEPELL tem por objetivos principais desenvolver pesquisas na área de linguagem em diferentes modalidades e semioses, nos níveis básico e superior de ensino, contemplando diferentes situações de comunicação, bem como promover ações relacionadas à formação de professores. Além das líderes, Sandra Patrícia Ataíde Ferreira (PPG-Psicologia Cognitiva/UFPE) e Fabíola Mônica da Silva Gonçalves (UEPB - egressa PPG), o Grupo conta com a participação de mais sete pesquisadoras com áreas de atuação diversas, tais como a docência em instituições do estado de Pernambuco e dos municípios do Recife e de Escada, bem como estudantes de graduação, mestrado, doutorando, bolsistas  IC e voluntários. O Grupo está cadastrado na Universidade Federal da Paraíba, em caráter de solidariedade entre as instituições.

 

Grupo de Pesquisa Psicologia dos Processos Criativos

Cadastrado no Diretório de Grupos de Pesquisa/CNPq em 2014. Liderado por Marina Assis, conta com a participação de estudantes da graduação, de mestrado e doutorado, além da colaboração de Luciano Meira, ex-docente PPG, sócio-fundador da Joy Street). Os profs Danilo Guimarães (USP) e Mônica Neves-Pereira (Instituto de Psicologia da UNB) são dois significativos parceiros do grupo de pesquisa, tendo em 2018 participado do planejamento de publicações e interlocuções teórico-metodológicas importantes ao desenvolvimento do grupo. Em 2019, a partir do pós-doutorado da coordenadora do grupo inserida no Laboratório de Interação Verbal e Construção do Conhecimento (supervisionado por Lívia Mathias Simão) consolidou-se uma profícua interlocução que se desdobra em publicações, projeto de pesquisa e participação em bancas previstas para o biênio 2020-2021. As pesquisas desenvolvidas pretendem contribuir para o fortalecimento e ampliação da pesquisa sobre processos criativos na Psicologia, numa abordagem sócio-histórica e dialógica, viabilizadora de novos recortes compreensivos, distintos das perspectivas individualistas, inatistas e psicométrica. Desta forma, almeja-se desenvolver um vocabulário próprio à sua natureza dialógica e sócio-cultural, diferenciando este campo de pesquisa em relação às gramáticas da resolução de problemas, do pensamento divergente, do pensamento crítico e da teoria do insight. Pretende-se também construir as bases iniciais para o desenvolvimento de uma agenda de pesquisa que dê conta da dimensão desenvolvimentista, ontogenética da ação criativa, assim como promover, futuramente, no cômputo das comunidades de prática (escolas, empresas de inovação, etc.) uma contribuição teórico-pragmática favorecedora do desenvolvimento de suas potencialidades. Em 2018, o grupo promoveu curso de extensão Panoramas da Criatividade: Diálogos e desafios interdisciplinares (carga horária: 40 horas), contando com a participação de pesquisadores da área de Saúde, Educação, Design e Inovação e estudantes de graduação. A ação teve por objetivo dar visibilidade aos temas de pesquisa que tem sido desenvolvido no PPG, bem como manter a comunidade acadêmica e extra acadêmica atualizada. Por ser um tema recente no PPG e no cenário nacional e internacional, os membros do grupo têm feito significativos esforços para divulgar resultados de pesquisa através de artigos e capítulos livros. Ademais, membros do grupo realizaram a pesquisa sobre a primeira infância e o espaço urbano (Projeto Urban 95), com financiamento da Fundação Bernard Van Leer, que a partir do relatório produzido sobre a situação da primeira infância em duas regiões de baixo IDH da cidade, e pretende promover um conjunto de ações extensionistas voltas para a relação entre o "brincar e a criatividade em ambientes públicos: a praça como quintal da casa”, no ano de 2020-2021, em parceria com as professoras do PPG Candy Laurendon e Silvia Maciel.

 

Laboratório de Estudos da Autoconsciência, Consciência, Cognição de Alta Ordem e Self (LACCOS)

Cadastrado no Diretório de Grupos de Pesquisa/CNPq em 2011. Tem como missão desenvolver pesquisas que contribuam para um maior esclarecimento científico e interdisciplinar da Subjetividade Humana, Self e processos molares da cognição self-relacionados como Autoconsciência e Consciência e uma gama pouco explorada de processos de alta ordem com enfoque das Ciências Cognitivas, em geral, e Psicologia Cognitiva, em particular, num diálogo permanente com outros saberes relacionados ao Mental, como a Filosofia da Mente e Psicanálise, visando estender a compreensão psicológica do amplo espectro dos Estados da Mente e da Realidade para margens mais distantes que as usualmente cobertas pelo mainstream da Teoria Psicológica e Cognitiva.  Além dos líderes Alexsandro Nascimento e Antônio Roazzi, o laboratório é constituído por pesquisadores membros, sendo dois pesquisadores-senior (Prof. Bruno Campello de Souza, Programa de Pós-Graduação em Administração – PROPAD / UFPE e a Profa. Sabrina Araújo Feitoza Fernandes Rocha, ESMAPE/ Centro Universitário Estácio do Recife; ambos egressos PPG), conta com a participação de estudantes de pós-graduação (mestrado e doutorado), graduação de Psicologia (IC e voluntários) e pesquisadores membros de outras instituições da região como o Centro Acadêmico do Agreste (CAA, UFPE), Centro Universitário Estácio do Recife, e Cooperativa dos Fisioterapeutas e Serviços em Saúde de Pernambuco (COOPFISIO). Em 2018, os membros do laboratório promoveram o Simpósio Bianual do Laboratório de Estudos de Autoconscência, Consciência, Cognição de Alta Ordem e Self (LACCOS) intitulado “Psicologia, Religião e Sociedade; em 2019 foram realizados os seguintes eventos: 1) Simpósio Bianual do Laboratório de Estudos de Autoconscência, Consciência, Cognição de Alta Ordem e Self (LACCOS) intitulado “Autoconsciência, Saúde e Bem-Estar: Diálogos entre Psicologia Cognitiva e Psicologia Positiva”, ambos com carga horária de 8 horas, coordenado pelo prof. Alexsandro Nascimento. 2) I Encontro LACCOS de Psicologia Hospitalar e da Saúde: “Psicologia, Obesidade e Terapêuticas: Olhares interdisciplinares – O Sujeito e suas vicissitudes na Clínica da Obesidade”, em Recife, 19 de Agosto de 2019, com: Mesas Redondas, Sessão Coordenada de Pôsteres e Rodas de Diálogos. Contou com 40 participantes da comunidade da UFPE e de instituições externas; 3) Setembro Amarelo LACCOS 2019: “Autoconsciência e Suicídio: Olhares sobre Prevenção”, Recife, 27 de Setembro de 2019, com: Mesas Redondas, Rodas de Diálogos, e Palestra Magna. Quantidade de participantes: 75 participantes (comunidade UFPE e instituições externas); 4) Simpósio LACCOS 2019 “Autoconsciência, Saúde e Bem-Estar: Diálogos entre Psicologia Cognitiva e Psicologia Positiva”, Recife, 11 de Dezembro de 2019, com: Palestras, Sessão Coordenada de Pôsteres, Oficina de Prevenção ao Suicídio “Resiliência e Autoconhecimento”, e Palestra Magna. Quantidade de participantes: 30 participantes (comunidade UFPE e instituições externas).

 

Laboratório de Estudos da Imaginação – Eikasia

Cadastrado no Diretório de Grupos de Pesquisa/CNPq em 2017. O mais recente grupo de pesquisa do PPG em Psicologia Cognitiva inaugura no programa uma discussão focada no tema da imaginação dentro da linha Cultura e Cognição. O estudo dos processos imaginativos oportuniza reflexões sobre a ação humana de planejar, de criar objetivos, de construir um futuro, tanto para ações cotidianas mais simples, como para ações que envolvem mudanças pessoais mais contundentes (como assumir o primeiro emprego, ensinar para crianças com alteração motora-cognitiva severa) e transformação social. A missão é buscar compreender como os seres humanos desenvolvem atos imaginativos numa perspectiva semiótico-cultural e, por outro lado, identificar o que diferentes grupos imaginam em relação a cenários diversos como a saúde e a educação. O grupo de pesquisa iniciou, em 2017, um diálogo com o prof. Luca Tateo, professor visitante da Universidade Federal de Bahia, especialista na discussão sobre imaginação e hoje tem como participantes as pesquisadoras as professoras Mirele Moutinho Lima (UPE) e Euda Kaliani Rocha (UFPE), bem como estudantes de pós-graduação (mestrado e doutorado). Sob o tema da imaginação, desde 2018, o laboratório desenvolveu quatro dissertações e três orientações de doutorado foram iniciadas. Também em 2018 o Laboratório iniciou uma parceria com Professor Ernesto Vilar, Professor Auxiliar do Departamento de Comunicação e Artes da Faculdade de Artes e Letras da Universidade da Beira Interior - Portugal. Nessa interlocução, o tema da Imaginação passou então a ser discutido em projeto de Gamificação Escolar, executado em escolas das cidades portuguesas de Fundão e Gouveia no ano letivo de 2018/2019 e, agora na terceira e última etapa do projeto, no ano escolar de 2019/2020 (ver www.educacaogamificada.org). Em 2019 uma parceria especialmente importante foi iniciada com o Dr. Mussa Abacar (egresso PPG), professor da Universidade Rovuma – Nampula, Moçambique, busca fortalecer relações internacionais. O Laboratório tem realizado publicações/submissões de seus trabalhos de pesquisa em congressos, periódicos e livros nacionais e internacionais.

           

Laboratório de Estudos do Desenvolvimento na Cultura: Comunicação e Práticas Sociais (LabCCom) - anteriormente denominado Laboratório de Comunicação e Linguagem na Primeira Infância (LabCom)

Oficialmente cadastrado no Diretório de Grupos de Pesquisa/CNPq em 2008, funcionando de forma sistemática e ininterrupta na UFPE desde 1989, destacando-se em sua atuação o estudo do processo de desenvolvimento da comunicação mãe-bebê com bebês apresentando desenvolvimento típico e atípico (síndrome Down, déficit auditivo, crianças autistas). Dentre as contribuições teórico-metodológicas destaca-se a construção de um modelo (Modelo EEA) para analisar e compreender o processo de desenvolvimento da comunicação e da emergência do "self" no início da vida, mais recentemente, longo dos anos 2012/2013 e até presentemente, 2017/2018, surgiram e se consolidaram novas linhas de pesquisa sobretudo sobre o tema construção cultural da significação. Particularmente desde 2012, cresceu o interesse pelo estudo do desenvolvimento humano na cultura (evidenciado pela mudança do nome do Laboratório para LabCCom), através de dissertações/teses e trabalhos científicos nessa vertente, incentivando a linha de pesquisa sobre a construção cultural da significação. O aumento do intercâmbio com o Centro em Psicologia Cultural da Universidade de Aalborg (AAU) e com o Departamento de Comunicação e Psicologia da AAU na Dinamarca – com a qual a UFPE estabeleceu um acordo de colaboração – está fazendo do LabCCom um núcleo de pesquisas e possíveis aplicações que se volta sobretudo para o estudo da memória e da imaginação, compreendidos como processo de construção de significados visando a adaptação humana no presente com vistas ao futuro que está por vir. No estudo das relações sujeito-cultura destaca-se o termo cunhado na literatura Avenidas de significado Dirigido (ADM em inglês) com a publicação em 2018 na revista Culture & Psychology, uma das revistas mais importantes na área da Psicologia Cultural. Em 2018 ocorreu a publicação de um livro de título: Cultural Psychology as Basic Science: Dialogues with Jaan Valsiner (Springer ed.), publicado por Maria Lyra e Marina Pinheiro. Participam do laboratório estudantes de graduação, pós-graduação (mestrado e doutorado) e pesquisadores nacionais e internacionais.

 

Laboratório de Neurociência Cognitiva (LNeC)

Fundado em 2013 e cadastrado no Diretório de Grupos de Pesquisa/CNPq em 2014. Está localizado no 9o andar onde funciona o Departamento de Psicologia, também, está vinculado ao PPG Psicologia UFPE. O LNeC tem atuado na interface das Neurociências e da Psicologia Cognitiva e desenvolvido trabalhos voltados para a neurocognição e comportamento investigando correlatos neurais de processos psicológicos e cognitivos básicos em populações saudáveis e clínicas utilizando métodos psicofísicos, comportamentais, neuromodulatório, eletrofisiológicos e neuropsicológicos. O objetivo é investigar disfunções e desenvolver estratégias de avaliação e intervenções neurocognitivas em diferentes populações.

 

Núcleo de Pesquisa da Argumentação (NupArg)

Fundado em 1994 e cadastrado no Diretório de Grupos de Pesquisa/CNPq em 2004. O NupArg se destaca como grupo de pesquisa pioneiro, no Brasil, no estudo das relações entre argumentação e cognição, com trabalhos voltados especialmente para as relações entra argumentação, aprendizagem e desenvolvimento do pensamento crítico-reflexivo. No funcionamento do NupArg se destacam: [1] As propostas teórico-metodológicas elaboradas no NupArg, que têm servido de referência para pesquisadores da argumentação no Brasil e no exterior, o que tem resultado na manutenção de intercâmbios duradouros com universidades brasileiras (UNESP, UNIFESP, UNICAMP) e latinas (Centro de Estudios de la Argumentación y el Razonamiento/CEAR, Universidad Diego Portales; Universidad Alberto Hurtado; Pontifícia Universidad Católica de Chile-Santiago, todas no Chile; UNIVALLE, Universidad de Antioquia, UPTC (Universidad Pedagógica e Tencnológica da Colombia) na Colômbia, bem como na atração, para o NupArg, de estudantes para estágios de curta duração; cumprimento de programa integral de mestrado/doutorado e estágio pós-doutoral; [2] Planejamento e execução de proposta pedagógica, inédita no país, voltada para o desenvolvimento de competências crítico-argumentativas integrada ao curso de graduação em psicologia da UFPE, proposta essa testada (piloto) em 2011 e 2012 e incorporada como componente obrigatório do currículo do curso a partir de 2013 e até os dias atuais. [3] Manutenção de Banco de Dados com videogravações de argumentação em sala de aula (Ensinos Fundamental, Médio, Superior) e de argumentação infantil em situações naturais, com disponibilização de acesso a pesquisadores que o solicitem. [4] O NuPArg é referência central no funcionamento do GT-ANPPEP Argumentação/ explicação: modos de construção/constituição do conhecimento, liderado pela profa. Selma Leitão conjuntamente com a Profa. Luci Banks-Leite (UNICAMP). [5] Organização de seminários bianuais (apoio FACEPE e UFPE) que têm trazido ao PPG – Psicologia Cognitiva pesquisadores internacionais de expressão no campo das relações entre argumentação e construção do conhecimento, bem como de áreas afins de interlocuções com a linguística, a psicologia e a educação. Destaca-se em 2018, a organização do I Congresso Nacional/IV Seminário Internacional ‘Argumentação na Escola’ aconteceu, em 2018, na UFPE-Recife, sob coordenação geral da Profa. Selma Leitão (coord./NupArg) e em parceria do GPEHCC/Grupo de Pesquisa em Educação, História e Cultura Científica, PPG-Educação em Ciências e Matemática, UFPE-Caruaru (Profas. Kátia Calligaris, coord./GPEHCC e Sylvia De Chiaro – egressa PPG, NupArg/GPEHCC). A presença do GPEHCC, na copromoção do congresso marca também a expansão do trabalho do NupArg em direção à meta de inserir a reflexão sobre argumentação/aprendizagem na formação de professores. Fruto da parceria NupArg/GPEHCC, o CAA/UFPE-Caruaru é hoje o primeiro centro de formação de professores (Norte/Nordeste) oferecer disciplina focada no trabalho com a argumentação em sala de aula, estando em andamento (fase piloto) experiência similar no Centro de Educação/UFPE. Os objetivos do evento foram refletir sobre o lugar da argumentação na aprendizagem e no desenvolvimento do pensamento crítico/reflexivo de estudantes (básico, superior) e discutir propostas práticas de trabalho com argumentação na sala de aula. Três conferencistas internacionais (Chile, Portugal) e dois nacionais (UFS, USP) participaram como convidados do evento, cuja programação abrangeu seis conferências (relação argumentação, aprendizagem, desenvolvimento do pensamento reflexivo), quatro minicursos/8h (propostas de práticas de argumentação em sala de aula) e 88 comunicações orais (resultados de pesquisa) e relatos de experiências (já realizadas).  https://www.ufpe.br/nuparg

 

Núcleo de Estudos em Avaliação Psicológica (NEAP)

Fundado em 2012 e cadastrado no Diretório de Grupos de Pesquisa/CNPq em 2013. Foi criado em razão do grande desenvolvimento da área de avaliação psicológica no país e da inexistência de um grupo de pesquisa nessa área na Região Metropolitana de Recife. Liderado pelo prof. José Maurício Haas Bueno o núcleo conta com a participação de estudantes de pós-graduação (mestrado e doutorado), estudantes de graduação (IC e voluntários), pesquisadores internacionais (Mussa Abacar egresso PPG, Universidade Pedagógica de Moçambique, posteriormente desmembrada e, em 2019, transformada em Universidade Rovuma – UniRovuma, localizada em Nampula, Moçambique) e nacionais [Ricardo Primi (USF), Evandro de Morais Peixoto (UPE, mais recente docente USF), Fabiano Koich Miguel (UEL) e Monalisa Muniz (UFSCar)]. Em 2018 as parcerias propiciaram a organização do 1° Encontro Pernambucano de Avaliação Psicológica (EPAP), juntamente com Laboratório de Avaliação Psicológica e Psicometria - LAPPsi (UPE) em parceria com o Laboratório de Avaliação e Medidas Psicológicas do Vale do São Francisco (UNIVASF); visita de intercâmbio técnico à Universidade Pedagógica de Moçambique, delegação de Nampula, Moçambique, para ministrar módulo de Psicometria no Curso de Mestrado em Psicologia das Organizações, entre outras atividades; realização de doutorado sanduiche das estudantes Angélica Maria Ferreira de Melo Castro (no Grupo de Investigação sobre Cognição, Aprendizagem e Desempenho, coordenado pelo Prof. Dr. Leandro Almeida, na Universidade do Minho, Braga, Portugal) e Débora Alves de Amorim (no Laboratório de Neuropsicofisiologia, dirigido pela Profª Drª Adriana da Conceição Soares Sampaio, na Universidade do Minho, Braga, Portugal. Ainda, em 2018, o NEAP iniciou, pesquisa e extensão no Colégio Mazzarello (instituição privada do Recife) com vistas a realização de Programa de Desenvolvimento de Habilidades Socioemocionais para o Ensino Fundamental. Desde 2018, tem-se continuidade a parceria com o Laboratório de Avaliação Psicológica e Educadional (LabAPE), da Universidade São Francisco para a construção de instrumentos de avaliação de habilidades socioemocionais. Em 2019 a realização de doutorado sanduiche da estudante Débora Alves de Amorim (no Laboratório de Neuropsicofisiologia, dirigido pela Profª Drª Adriana da Conceição Soares Sampaio, na Universidade do Minho, Braga, Portugal). Continuidade do acordo de Cooperação Técnica com a Fundação Joaquim Nabuco (Recife, PE) para a realização da pesquisa Acompanhamento Longitudinal do Desempenho Escolar de Alunos da Rede Pública Ensino Fundamental do Recife, desenvolvida no âmbito da Coordenação Geral de Estudos Econômicos e Populacionais, na cidade do Recife, na FUNDAJ, no Campus Apipucos. Página Facebook: https://www.facebook.com/NEAP.UFPE/

 

Núcleo de Pesquisa em Epistemologia Experimental e Cultural (NEC)

O núcleo de pesquisa, foi criado em 1998, e coordenado pelos Professores Antonio Roazzi e Bruno Campello de Souza (PPG em Administração – PROPAD/UFPE - egresso PPG), e desde a sua fundação tem por objetivo sistematizar as ações de pesquisa e extensão implementadas pelos docentes e discentes do PPG em Psicologia Cognitiva. O objetivo principal do conjunto de investigações proposto por esse centro é fornecer evidências empíricas para uma teoria recentemente estabelecida em psicologia cognitiva contemporânea: a Teoria da Lógica Mental. Esta teoria encontra-se apresentada em diversos artigos e capítulos de livros, nos quais o Prof. Antonio Roazzi é co-autor. Portanto, o núcleo busca constituir um espaço voltado não só para o planejamento e acompanhamento de ações associadas à formação na graduação e pós-graduação, mas, principalmente, à produção de conhecimento decorrente das questões teóricas e metodológicas suscitadas por um modo de fazer pesquisa estruturado. Este modo de fazer pesquisa, aliado às noções de multiprofissionalidade e transdisciplinaridade que atravessam e constituem os diversos campos da psicologia cognitiva. Participam do núcleo estudantes de graduação, pós-graduação (mestrado e doutorado) e estudantes de IC. Em 2018, o Antonio Roazzi, coord. do NEPEEC, passou a atuar como consultor no Programa de Pesquisa e Inovação para as Cidades. Este programa parte da ideia de oferecer novos repertórios, possibilidades e caminhos, de maneira a encorajar a apropriação tecnológica para o desenvolvimento urbano e cultural em prol da transformação social das cidades contemporâneas. Em 2019, o prof. Antônio Roazzi, coordenador do referido núcleo foi homenageado e um dos convidados especiais, nos 75 anos da Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, pela trajetória e experiência como autor do periódico e atuação no campo educacional. O núcleo mais recentemente tem desenvolvido estudos sobre as cuidadoras de crianças com microcefalia-Síndrome Congênita do Zika Vírus, com o objetivo de descrever como se constituem as relações entre os padrões externos associados aos Estilos de Apego Adulto, das manifestações das experiências subjetivas e do perfil social, à luz da Psicologia Positiva, nos(as) cuidadores(as) de crianças com microcefalia associadas ao Zika vírus.

 

Núcleo de Pesquisa em Psicologia da Educação Matemática (NUPPEM)

Cadastrado no Diretório de Grupos de Pesquisa/CNPq em 2006. Coordenado pelas professoras Alina Spinillo e Sintria Lautert, foi inscrito no Diretório do CNPq em 2006, mas teve sua origem em data anterior a partir de pesquisas e obras publicadas no país e no exterior por ex-docentes do PPG-Cognitiva que fundaram uma linha de pesquisa intitulada Educação Científica e Matemática. A criação do núcleo oficializou uma nova área de conhecimento no país: a Psicologia da Educação Matemática. De natureza interdisciplinar, o núcleo tem por objetivo principal desenvolver pesquisas de natureza psicológica sobre conceitos e atividades matemáticas, dentro e fora da escola, com implicações para a Educação Matemática. O núcleo contribui para a continuidade e consolidação de intercâmbios com centros de pesquisa no país e no exterior, e com a constituição e coordenação (profa. Síntria Lautert) de dois grupos de trabalho de reconhecidos nacionalmente: o GT Psicologia da Educação Matemática (na ANPEPP) e o GT9 Processos Cognitivos e Linguísticos (na Sociedade Brasileira de Educação Matemática). O núcleo promove anualmente ciclo de palestras e um seminário (com pesquisadores nacionais e estrangeiros) baseados em teorias de natureza psicológica e em pesquisas que visam a melhoria da educação matemática. Seus membros participam de ações promovidas pelo MEC em programas institucionais de grande impacto social (PNAIC - Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa e PNLD – Programa Nacional do Livro Didático), na organização de eventos científicos de abrangência nacional e na elaboração de livros publicados no país e no exterior. O quadro de membros locais foi ampliado e renovado nos últimos dois anos com o ingresso de uma docente concursada e de duas pós-doutorandas: uma ex-bolsista do PNPD (que foi lotada em 2019, por meio de concurso público, no Centro de Educação da UPFE; e outra bolsista de pós-doutorado que é professora em PPG em Educação da UFPR. O núcleo conta também com pesquisadores de instituições brasileiras e estrangeiras (Universidade de Lyon, França), com estudantes de pós-graduação e de graduação (bolsistas de IC e Bia, voluntários). Disciplinas eletivas do PPG- Psicologia Cognitiva estão tematicamente associadas ao núcleo, sendo ministradas por seus membros, contribuindo com a formação de recursos humanos em nível de pós-graduação. As pesquisas e demais atividades realizadas pelo núcleo têm uma forte interface com a educação básica no país, sendo difundidas por meio de cursos e palestras ministradas por seus membros no Brasil e no exterior. Destaca-se em 2017, X Seminário do Núcleo de Pesquisa em Psicologia da Educação Matemática “ Desafios da Educação Matemática: ampliando as possibilidades de inclusão”, onde foram ministradas três palestras: Desafios da prática inclusiva na escola; Ansiedade à Matemática e Educação Matemática e surdez e a elaboração de Coletânea, em três volumes, voltada para o professor da escola básica do 1º ao 9º ano do Fundamental, na qual discute e interpreta e explica as estratégias e esquemas utilizados estudantes para resolver situações-problema multiplicativas. Este material também foi impresso e disponibilizado online (https://www.ufpe.br/nuppem/destaques). Em 2018, diversas ações foram realizadas: [1] publicação de dados de pesquisa realizada com crianças brasileiras sob forma de dois capítulos em dois livros internacionais (publicados em inglês pela Springer): um atendendo convite da Comissão Organizadora do 13th Internacional Congress on Mathematical Education (ICME) e outro da Sociedade Brasileira de Educação Matemática. Este último é um livro de grande impacto que representa as pesquisas brasileiras na área; [2] palestras a nível nacional ministradas no Seminário Regional do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa (PNAIC), Belém; no Centro de Informática da UFPE, na Coordenadoria de Ensino de Ciências do Nordeste (CECINE) e no V Seminário de escritas e Leituras em Educação Matemática; [3] palestra no exterior na First Regional Conference of the International Group for Psychology of Mathematics Education, South America, Chile; [4]curso ministrado na UFRG para professores da escola básica, estudantes de graduação e pós-graduação baseado em pesquisa desenvolvida em rede no âmbito do programa Observatório da Educação (CAPES); [5] organização de eventos científicos internacionais e nacionais: o III Colóquio Internacional sobre a Teoria dos Campos Conceituais e o XI Seminário do Núcleo de Pesquisa em Psicologia da Educação Matemática; [6] participação em comissões científicas em congressos nacionais e emitindo pareceres em congressos internacionais; [7] participação na elaboração de roteiros para vídeos da plataforma Openredu, software livre desenvolvido pelo CIn UFPE (http://openredu.ufpe.br) com fins educacionais, visando formação inicial ou continuada de professores a nível nacional via redes sociais. Em 2019 foi dada continuidade a muitas das atividades, em especial aquelas associadas à internacionalização do PPG. Destaca-se a realização do IV Simpósio Brasileiro de Psicologia da Educação Matemática, na UFPE, que contou com a participação de palestrantes estrangeiros de Portugal, Chile, Inglaterra e Estados Unidos e nacionais (UFABC, UFC, UFSCar, URGS e UFRJ). Alguns dos palestrantes deram contribuição especial, ministrando curso e participando de reuniões de pesquisa em período anterior e posterior ao evento, o que permitiu estabelecer e dar continuidade a parcerias entre suas instituições e as universidades que organizaram e evento (UFPE, UPE e UFRPE). O mini-curso. “Desenvolvendo a memória de trabalho e a habilidade aritmética: uma intervenção para a escola primária” ministrado por Terezinha Nunes, University of Oxford e XII Seminário do Núcleo de Pesquisa em Psicologia da Educação Matemática. https://www.ufpe.br/nuppem.