Voltar

Pós em Ciência da Computação realiza defesa de dissertação sobre Protótipos Computacionais Móveis

A defesa acontecerá às 10h, no Google Meet

O Programa de Pós-Graduação em Ciência da Computação do Centro de Informática da UFPE (CIn/UFPE) promove defesa de dissertação nesta segunda-feira (28). A dissertação de mestrado, intitulada “Efetividade da Avaliação Corporificada de Protótipos Computacionais Móveis”, foi produzida pela discente Júlia Carneiro de Almeida, orientada pelo professor Alex Sandro Gomes e coorientada pelo professor Amadeu de Campos Filho. 

A defesa acontecerá às 10h, no Google Meet, e a banca examinadora será composta pelo orientador e pelos professores Ricardo Ferreira Lima (UFPE/CIn) e Rosane Alencar da Silva (UFPE/Departamento de Ciências Sociais).

Resumo

Em consequência aos avanços tecnológicos, o número de dispositivos aumentou, surgindo diferentes smartphones, tablets e smartwatches, presentes tanto na realização de atividades pessoais como profissionais. Em decorrência disso, foram desenvolvidas aplicações móveis e com elas surge a necessidade de técnicas e métodos que proporcionem suporte para a realização das atividades de avaliação e prototipagem, já que as abordagens atuais são limitadas e não conseguem suportar a complexidade e a necessidade de compreensão do contexto. Diante disso, o objetivo geral do estudo é analisar a efetividade da avaliação situada e corporificada de protótipos computacionais móveis. Para isso, levou-se em consideração aspectos das abordagens pós-modernas e fenomenológicas. O estudo foi conduzido utilizando a técnica da etnografia digital, combinado a técnicas de pesquisa qualitativa para capturar as evidências de que a abordagem situada e corporificada permite capturar as percepções e experiência dos participantes sobre o uso da aplicação em avaliação. A pesquisa foi realizada sobre a perspectiva de mães de crianças com microcefalia que fazem tratamento na Fundação Altino Ventura (FAV) e são usuárias da aplicação móvel MobCare, aplicativo para monitoramento e integração das informações relacionadas aos quadros clínicos das crianças com microcefalia. Ao final do estudo, foi possível identificar aspectos que reforçam a efetividade da utilização da técnica, bem como a obtenção de reflexões, percepções, contingências, práticas e significados. Dessa forma, a abordagem situada e corporificada permite identificar aspectos que os experimentos em laboratório não poderiam capturar.

Data da última modificação: 25/09/2020, 17:34