Curiosidades Curiosidades

Voltar

Adelmar Tavares - Um dos maiores trovadores brasileiros

Fotografia de Adelmar Tavares - Fonte: Academia Brasileira de Letras

Adelmar Tavares da Silva Cavalcanti, conhecido como Adelmar Tavares, foi um advogado, professor, jurista, magistrado e poeta brasileiro.

Adelmar Tavares era filho de Francisco Tavares da Silva Cavalcanti e de Maria Cândida Tavares, natural de Pernambuco, nascido a 16 de fevereiro de 1888. Conforme consta na Lista geral dos estudantes matriculados na Faculdade de Direito do Recife, ingressou no curso de Ciências Jurídicas e Sociais na Faculdade de Direito do Recife - em 1905. Ainda como estudante de Direito pela Faculdade de Direito do Recife manifestou interesse pela imprensa colaborando como redator no Jornal Pequeno.

Em Recife no ano de 1907, com outros colegas de Faculdade, publicou o seu primeiro livro, quando tinha apenas 19 anos. O volume intitulava-se “Descantes”, compunha-se de trovas e os seus companheiros eram: Carlos Estevão, Manoel Monteiro, A. Silveira Carvalho e Moreira Cardoso.

Recebeu o grau de Bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais, em 13 de dezembro de 1909 - como segue a imagem abaixo:

Em 1910, mudou-se para o Rio de Janeiro, onde ocupou importantes cargos. Foi promotor público adjunto (1910); curador de resíduos e testamentos (1918); curador de órfãos (1918-1940); advogado do Banco do Brasil (1925-1930); desembargador da Corte de Apelação do Distrito Federal (1940) e presidente do Tribunal de Justiça (1948-1950). Também fez Concurso para professor de Direito Penal na Faculdade de Direito de Niterói, onde exerceu a cátedra durante muitos anos.

Enquanto desenvolvia sua carreira na magistratura, Adelmar Tavares continuava colaborando na imprensa, e seu nome se tornara conhecido em todo o Brasil no setor da trova, sendo considerado, até hoje, o maior cultor desse gênero poético no Brasil. Suas trovas sempre mereceram referência na história literária brasileira. Sua obra poética caracteriza-se pelo romantismo, lirismo e sensibilidade, sendo recorrentes temas como o da saudade e o da vida simples junto à natureza.

Quinto ocupante da Cadeira 11, eleito em 25 de março de 1926, na sucessão de João Luís Alves e recebido em 4 de setembro de 1926 pelo Acadêmico Laudelino Freire. Recebeu o Acadêmico A.J. Pereira da Silva.

Era membro da Sociedade Brasileira de Criminologia, do Instituto dos Advogados, da Academia Brasileira de Belas Artes, membro e patrono da Academia Brasileira de Trovas. Era considerado o Príncipe dos Trovadores Brasileiros. Foi presidente da Academia Brasileira de Letras em 1948.

Obras: Descantes, trovas (1907); Trovas e trovadores, conferência (1910); Luz dos meus olhos, Myriam, poesia (1912); A poesia das violas, poesia (1921); Noite cheia de estrelas, poesia (1925); A linda mentira, prosa (1926); Poesias (1929); Trovas (1931); O caminho enluarado, poesia (1932); A luz do altar, poesia (1934); Poesias escolhidas (1946); Poesias completas (1958). Escreveu também várias obras jurídicas, entre as quais Sobre a história do fideicomisso; Do homicídio eutanásico ou suplicado; Do direito criminal; O desajustamento do delinqüente à profissão.

Quando foi chamado ao céu dos trovadores, Adelmar contava 75 anos, faleceu no Hospital do Servidores do Estado -  no Rio de Janeiro, RJ, exatamente às 3:15 horas do dia 20 de junho de 1963 e foi sepultado as 16:00 horas na cripta dos “imortais” da Academia,  no cemitério de São João Batista.

Fontes consultadas:

>> Academia Brasileira de Letras - https://www.academia.org.br/academicos/adelmar-tavares/biografia

>> o Jornal (RJ) - sexta-feira, 21 de junho de 1963    - http://memoria.bn.br/DocReader/110523_06/124531

>>  Jornal do Commercio (RJ)  - sexta-feira, 21 de junho de 1963 - http://memoria.bn.br/DocReader/364568_15/22895

>>Lista geral dos estudantes matriculados na Faculdade de Direito do Recife de 1906 – Acervo do Arquivo da FDR

>> Lista geral dos bacharéis e doutores que tem obtido o respectivo grau na Faculdade de Direito do Recife, desde a sua fundação em Olinda, no ano de 1828, até o ano de 1931  – Acervo do Arquivo da FDR

>> Livro de Registro de diplomas de bacharéis (1894 - 1911) – Acervo do Arquivo da FDR

Data da última modificação: 24/08/2020, 05:01